Postagem em destaque

A Paz

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Jovem guarda!


Revendo Mamã mia! Lindo!


Venezuela


Belchior


Apagão moral


A guerra das rosas


Josias de Sousa fala sobre milicianos


Roberto Carlos e Zizi Possi


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Devolva-me


Gal e Jorge Bem


Wanderléa e Erasmo


Lady Gaga


Mesmo que seja eu


Erasmo Carlos e Roberto Carlos TV Tupi 1971)

BROTO LEGAL - CELLY CAMPELO E SERGIO MURILO

Os Incriveis Era um garoto que como eu amava Os Beatles e os Rolingstone...

Roberto Carlos - Jovem Guarda [1965] l Álbum Completo

Lady Gaga e Bradley




Hebe Camargo 90 anos


O meu amigo Erasmo Carlos


Secos e molhados



Por uma dama


A vida é curta


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Moacyr Franco especial


Marielle presente!


Erasmo Carlos


Minha fama de mau!


Vinte anos


Ato falho da deputada Joice do PSL: BRASIL PARAÍSO DOS BANDIDOS


Papa Francisco pede medidas concretas contra pedofilia na Igreja





Menina, a cadela que não perde a missa


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

A paz esteja em cada coração!





Missa em homenagem a Boechat


Carminho


Hino ao Amor


Eu quero apenas


Martinho da Vila Ó Nega e Samba dos Ancestrais

Que diferença faz um dia

Vivendo a vida

Momentos pelo mundo

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Ela tinha uma amiga chamada Maria


MARIA APARECIDA TORNEROS : O orvalho vem caindo . Acordo e vou atravessar a c...

MARIA APARECIDA TORNEROS : O orvalho vem caindo . Acordo e vou atravessar a c...:  Neste 2015 vou pela segunda vez ao terapeuta. Estive com ele em janeiro. Como fazemos terapia juntos há 9 anos,  nos ultimos tempos ja n...

Perder o Amor


Brasil em transe


Piaf


Bibi histórias e canções


Jurame


Rita Pavone: corazón


Mangueira homenageia Marielle


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Prêmio Bibi Ferreira


Hino ao amor


Sem fantasia


Sartre ainda é muito presente!


Ele foi um filósofo do século XX  que difundiu o existencialismo. Sua companheira Simone de Bovoir descreveu a opressão feminina e defendeu a libertação do segundo sexo. Fizeram escola. Claro que filosofar num mundo conturbado como o nosso é desafio constante. 
Sobre escolhas,  Sartre tem razão.  Todas remetem a consequências.  Todos os dias, nossas sociedades vivem os efeitos de caminhos escolhidos por governantes ou poderosos. Nas vidas pessoais também.  A gente decide caminhos para vivenciar a roleta da sorte no dia a dia da Vida.
Cida Torneros 

O laranjal do PSL


domingo, 17 de fevereiro de 2019

O' Sole Mio - Carreras - Domingo - Pavarotti - Los Angeles 1994... Emozi...

Las Tres Grandes - Gracias a la Vida (Primera Fila [En Vivo])

Lila Downs, Niña Pastori, Soledad - Que Nadie Sepa Mi Sufrir

Natalia Lafourcade - Amor, Amor de Mis Amores (En Vivo)

BETHANIA E ALCIONE


Pepe Mujica


Fandango


O mar




Avisa ao ministro das relações exteriores que ele é apenas uma rapaz latino americano!


Isso mesmo. Ele pensa que abolindo do curriculum dos cursos do Itamaraty a história da América Latina vai conseguir apagar uma realidade imensa que é a trajetória desta América colonizada por espanhóis e portugueses.  Acorda, Ernesto! Teu sonho americano está impregnado de subserviência ao Tio San . Tio Trump, melhor dizendo. Cara, pensa no quanto isso é ridículo! Esconder milhares de anos de formação de culturas variadas.  Indígenas, colonizadores e imigrantes. 
Cida Torneros 

A Vida , além da cozinha!



Aquarela


Roberto Carlos


sábado, 16 de fevereiro de 2019

Agora que chegou a maturidade


Júlio Iglesias


MARIA APARECIDA TORNEROS : Elsa e FRED paixão renovada




MARIA APARECIDA TORNEROS : Elsa e FRED paixão renovada: Paixão renovada "Elsa e Fred" voltam na pele de Shirley MacLaine e Christopher Plummer Refilmagem do sucesso argentino está ...

Amore


MARIA APARECIDA TORNEROS : Vôo

MARIA APARECIDA TORNEROS : Vôo: O vôo do passaro  desenha árabescos no céu  dos teus amores Tece renda que se esgarcam entre luzes  sombras e cores Dizem o que nunc...

Pão e Tulipas


Bruno Ganz. Ator suíço que nos deixou hoje


Entre seus vários trabalhos, um, especialmente,  me marcou . O personagem que ele interpretou no filme italiano Pão e Tulipas.  Fernando Girasoles era um garçom em Veneza que encantou a dona de casa Rosalba. Uma história que inspirou a criação da Confraria das Rosalbas com um grupo de amigas. Ele foi um ator de grande talento. Que descanse em paz!
Cida Torneros 

Marigella, o filme!


Rosa dos ventos , nossa geração ainda sonha!

Gente, por favor, avisem à Marion Bombom que estou com saudades dela e do show que assistimos juntas no Teatro da Praia, nos anos 70. Bethânia no palco, era nossa hora de sonhar com o futuro.

Rosa dos ventos esbarra na minha paixão pelas proparoxítonas,  obra prima do Chico.

Os relâmpagos do espetáculo da Vida acabam de iluminar o céu pra onde minha mãe Norma viajou. Um gênero de mãe como dona Margot. Mulheres protetoras que nos ensinaram tudo ou quase tudo. Porque assim como a mãe do Ricardo Boechat,  elas nos abriram as pálpebras para enxergar as esdrúxulas desigualdades deste mundo para o qual nos trouxeram.

Esôfagos apertados, testemunhamos através da profissão,  um tempo fantástico e incrivelmente profético.

Mães de jornalistas nascidos na segunda metade do século XX , são criaturas fanáticas por valores atualmente esmaecidos.

Dona Mercedes defendeu a memória do seu filho Ricardo porque , como ele,   somos pessoas que vieram ao planeta no pós segunda guerra para registrar e informar sobre fatos e injustiças.

Nossa geração ainda luta e tem sonhos. Graças às nossas mães pioneiras. Aquelas que nos deixam exemplos de amor ao próximo e ao trabalho.

Acendamos agora as lâmpadas do respeitável público.  Segue o barco navegável ainda por rios poluídos ou mares revoltos.

Chuva de pétalas sobre nossos corpos e mentes que treinam resistência desde sempre.

Cida Torneros


A criação do meu eu, desafio do século XXI


Alain de Botton


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Senhor Brasil


Mirrelle Mathie


A mi manera


Juan Pablo II


Filme do Erasmo


Minha fama de mau


Ricardo Boechat tinha informações sigilosas sobre Adélio Bispo. Boatos?


Primeiro discurso da deputada Tabata Amaral, de 25 anos


Tábata Amaral. A nova juventude líder no Brasil


O valioso tempo dos maduros


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Bibi canta Sinatra


Bibi Ferreira, muito Boa noite senhoras e Senhores!

Bibi. Uma diva. Vida longa. Estrela absoluta no Teatro. Grande intérprete das canções.  8 casamentos. Diretora severa. Criatura de fibra. Tinha um grande amor: seu público.  Virou Piaf. Virou Amália.  Cantou Frank Sinatra. Foi enredo de escola de samba. Tive a felicidade de assisti- la muitas vezes. Foi sempre um grande prazer. Era estupenda. Merece todas as homenagens. Passou pela terra pra nos encantar.  Com certeza, partiu nos deixando o encanto pra sempre.  
Cida Torneros 

Leandro Karnal fala sobre a morte de Boechat


Gota d'água


Lá vie en rose


Foi Deus


Bibi canta Piaf


Bye bye Bibi Ferreira


General da Banda: Mourao!


Multidão no velório do jornalista Ricardo Boechat


terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Mulher de fibra : dona Mercedes


Histórias de mamãe...galo de m...



Nesses primeiros dias depois da partida de mamãe,  claro que as lembranças são muitas e a saudade intensa. Seu cão,  o Sucata, está triste. Fica grudado em mim. Parece perguntar onde ela está?  Vamos seguindo. Sua voz ainda ecoa pela casa. Dormi duas noites sozinha, ou melhor, tentei dormir. Passei a noite assistindo televisões católicas e emendei jornais desde as 5 da manhã.
A cuidadora dela veio me acudir e ficará até o fim de fevereiro.
Vou levando um dia de cada vez. Preciso decidir. Herdei seu cachorro e dois gatos. Tenho 3 na minha casa. Terei que juntar a bicharada.  Acho que será na casa maior, a dela. Precisa de obras. Farei aos poucos. Nem tenho cabeça pra pensar nisso agora. Mas vou ter que trazer meus livros e outras coisas mais lá de casa pra cá . Depois, vou alugar minha casinha para me ajudar nas despesas.
Tudo se resolverá.  O tempo muda . O galo de m... que o diga!
Pelo menos me conforta ter as boas lembranças. Ajuda pensar que ela pedia:  toma conta do meu amigo, sim, o cachorro Sucata! Agora ele é meu amigo também!
Cida Torneros 

Boechat reagiu: Bolsonaro chamou torturador de herói


Toca o barco! Band News


Adeus, Ricardo Eugênio Boechat


Azul dos olhos de Boechat


Despedida de Boechat


Lembranças de contemporânea. Boechat e seu faro de repórter!




Convivemos profissionalmente desde muito jovens. Também escrevi minha primeira matéria para o velho Diário de Notícias na rua do Riachuelo, em 69. Boechat, em 1970. Foi quando o conheci.

Jovem inteligentissimo, ateu, comunista, cariocaço, bonitão e sobretudo bem humorado.

Tinha o faro da notícia. Quando a partir de 75 fui trabalhar na assessoria de Comunicação da secretaria estadual de saúde,  nos falávamos para a produção de notinhas do tipo " nasceu o neto do Secretário ele vai distribuir charutos. Ele ligava do escritório de Ibrahim Sued.

Sempre ríamos muito com os temas das benditas notas sociais. Anos depois, ele já responsável pela coluna no Globo, eu lhe indicava as possíveis notícias que podiam gerar furo. Houve a dos cães da Guarda Municipal contratados irregularmente .

Uma vez, de São Paulo,  liguei para dizer que tinha um padre jovem prometendo fazer o Carnaval de Jesus, com trio elétrico.  Ele investigou e publicou o início do sucesso do padre Marcelo Rossi.

Passou pela assessoria do governador Moeira Franco. Mas ficou poucos meses. Não tinha a ver com seu perfil.

Anos depois, eu dava aulas na Universidade Gama Filho e organizei um seminário sobre a figura do ombudsman. Convidei Mário Vitor da Folha de São Paulo e Ricardo Boechat que encantou a garotada. Finda a roda de palestras, por sugestão do Boechat, fomos em grupo para Ipanema, para um jantar inesquecível.  Só lembro o nome do garçom que ele chamava de Garrincha. Viramos a madrugada.

Nessa época,  Boechat estava recém solteiro e namorava uma amiga minha. Nos finais de semana, ela ficava com ele e seus quatro filhos.

Boechat era pleno de vida intensa.
Houve ocasiões em que visitei a redação do Globo, por força do meu trabalho em assessoria. Ele sempre perguntava. -Não tem nada para um furo por aí?

Os anos correram. Ele foi pra Sampa. Começou nova vida. Profissional e pessoal. Na Band, passou a ser um âncora popular. Não nos vimos mais. Eu o acompanhei de longe torcendo sempre. Orgulho de ver o companheiro de juventude puxando as manchetes no jornal da Band, todas as noites.

Seu sorriso contagiante me deu muita alegria inclusive nos quadros da rádio com o José Simão.  Buemba, buemba,  break News.

Jornalismo direto. Faro de repórter independente, aquele jovem de 1970 ainda era o mesmo jovem aos 66.

Deixa saudades. Muitas. Fará falta, com certeza, porque dizia na cara o que muitos querem dizer. Boechat nos representava. Era único.

Deus o guarde e console sua doce Veruska e seus 6 filhos. Deus também olhe sua mãe Mercedes, uma argentina cheia de orgulho do filhão jornalista. Todos nós orgulhamos dele.

Paz para o garoto Ricardo Eugênio,  um farejador da informação,  um brasileiro antenado com o momento nacional. Partiu, nos deixando perplexos e chocados no auge do furo. Que droga  de furo. Tipo da notícia que nenhum de nós queria dar.
Cida Torneros

Para mi querido Alfredo! Hoy és su cumpleaños en Buenos Aires




domingo, 10 de fevereiro de 2019

José Padilha fala sobre O Mecanismo. Explica sua saída do Brasil


Aquarela do Brasil


Voto feminino


Celine Dion


Adelita


Quem foi à primeira mulher brasileira a poder votar?


O movimento sufragista


Paz na Terra


sábado, 9 de fevereiro de 2019

O protagonismo feminino na política Norte Americana






Elas, finalmente, ao comemorar os 100 anos do voto feminino, assumem o protagonismo de sua presença na política Norte americana.

Não são modelos hollywoodianos nem tampouco primeira damas belas, recatadas e do lar. São profissionais do direito ou da própria política partidária que defendem sua atuação antes muito modesta nas decisões republicanas ou democráticas do povo dos Estados Unidos.

Pela primeira vez, o Congresso americano alcançou o maior número de representantes do sexo feminino em seu quadro. Comemoraram vestidas de branco em homenagem às sufragistas de 100 anos atrás.  Estão literalmente brigando por um bom lugar ao sol.

Hillary, Michelle, Nancy,  Elizabeth, todas tem em comum a coragem de assumir a própria voz e desafiar história de machismo secular na área política.

Escrevem livros, discursam, concorrem nas eleições presidenciais ou do Congresso, sem abrir mão das suas vidas pessoais, de esposas, mães ou avós.

Conciliam suas lutas políticas com ideais sociais de busca de soluções num país tradicionalmente conhecido por se auto definir por ser uma das maiores democracias e economias do mundo.

Diria que todas, atualmente, são um desafio ao presidente Trump, useiro e viseiro em histórias mal explicadas de deslizes no campo da vida sexual que paga a garotas de programa com verbas de campanha ou uma certa apologia decadente de se casar com ex modelos para exibir silhuetas ou juventude de esposas tipo barbies.

As mulheres na nova política também são bonitas nas suas histórias.

São representantes de etnias diversas, de imigrantes que compõem a sociedade americana do Norte, no Congresso tem jovens, maduras, latinas, mulçumanas, além de negras, mestiças, de origem indígena ou européia.

Nancy, aos 78 anos, católica, mãe de 5 filhos e avó,  preside o Congresso e desafia Donald ao dizer que não apoia a construção do muro na fronteira com o México .

Hillary perdeu nas eleições presidenciais em circunstâncias duvidosas com denúncias de manipulação até com influência russa.

Michelle escreveu um atual best seller com grande chance de ser lançada na vida política partidária.

Agora, Elizabeth acaba de lançar sua própria candidatura às primárias presidenciais.

As fêmeas norte americanas acordaram finalmente para o poder constituído.  Já não era sem tempo.

Milhões de jovens as observam e seguem. Os poderosos donos do poder econômico estão colocando as barbas de molho.

Elas não vão parar ou calar. Vieram com tudo. Estão invadindo os parlamentos, além das ruas, seguem sendo estrelas de cinema cujo roteiro se constrói aquém  de Los Angeles, são as novas protagonistas da história.

As congressistas e políticas que impõem seu discurso ante um mundo tão necessitado de igualdade e justiça!
Cida Torneros

Estou aqui


Adelita. Para sonhar com a vida que segue!


La vida hay que seguir!

Fotos da missa e da igreja onde rezamos por mamãe neste sábado

Depois da missa fomos tomar café na padaria. Muitos amigos e familiares compareceram à igreja Basílica de nossa Sra de Lourdes em Vila Isabel.














Bom dia! Na Igreja rezando pela alma de mamãe. Sétimo dia!


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Série O Mecanismo Netflix


O mecanismo


The end


O voto feminino. 100 anos nos EUA. No Brasil demorou um pouco mais!


As sufragistas norte  americanas vestiram Branco esta semana para comemorar os 100 anos do voto feminino.  Neste ano o Congresso americano conta a maior representatividade  de mulheres da história. 
O filme "As sufragistas " de 2015, narra o movimento das inglesas pela mesma causa.











Doces memórias


Homenagem à minha mãe que adorava esta música interpretada por Júlio Iglesias ( esse era o nome da minha bisavó)


Nunca pare


Padre Zezinho


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Te amarei, Senhor!


Demis Roussos


Perfídia


Quando um ser amado parte, fica mesmo um vazio enorme. A gente preenche com lembranças e imensa saudade. Perfídia é uma canção muito antiga que inúmeros cantores gravaram, principalmente em espanhol.
Esta versão em português do Alceu Valença é peculiar. Tem um toque nordestino brasileiro. Uma forma de nacionalizar a dor que é humana nos corações partidos.
Cida Torneros 

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Mães deviam ser eternas!

Sepultei minha mãe de 92 anos. Não resistiu a uma braba pneumonia que a levou em uma semana. Estava com muitas limitações nos últimos anos. Acamada e com Alzheimer . Mas ainda interagia no seu mundo que nos dava passagem para ouvir suas músicas preferidas ou elogiar sopinhas e mingaus. 
Era alegre,  apesar de tudo. Tinha sido a vida inteira uma mãe rigorosa e uma avó que muito me ajudou na criação do meu filho. Este veio de Brasília onde trabalha, para despedir-se dela nessa manhã.  Meu irmão , cunhada, nora e sobrinhos foram incansáveis . As duas cuidadoras também . 

Chegou sua hora , o corpo debilitado não reagiu aos antibióticos. 

Está sendo doloroso, mas aceito que está em paz descansando. Sua voz ressoa em mim. - Cidinha, estude. Cidinha, lute. Cidinha, seja uma mulher independente , nada de ficar na cozinha!

Segui seus conselhos.  Estudei. Com 20, já trabalhava como jornalista. Com 22, fui correspondente no Japão. Com 24, já fazia mestrado e começava a dar aulas em faculdades de comunicação.  

Ela se orgulhava do filho engenheiro e da filha jornalista que nunca estudaram em colégio particular. Escolas públicas até as universidades.

Mamãe gostava de acompanhar política e fazer crochê.  

Sinto agora imensa saudade, mas me consolo pois acabou seu sofrimento.
Plantou uma família sólida.  Junto a meu pai com quem foi casada por quase 60 anos, ela nos incentivou a estudar sempre.

É seu legado. Enquanto eu viajava bastante a trabalho,  ela cobrava do meu filho  muita disciplina e organização . 

Só pude agradecer tudo. Muitas vezes, fiz isso. No velório,  falei no seu ouvido que eu seria eternamente grata até pelas broncas que me deu. Foi a minha sorte. Foi o meu Norte. Figura forte.

Mãe devia ser eterna. Na verdade, o é . 

Tenho a sensação do quanto Freud acertou nos seus estudos sobre a influência das mães sobre as criaturas. 

Fui uma filha que questionou muito suas ordens. Mas ela entendeu. Apoiou-me todas as vezes que precisei. Virou bebê na velhice avançada . Passamos a cuidar dela. 

Vi seu corpo frágil ser coberto com flores  para que mamãe Norma se libertasse da prisão de tantas limitações. 

Deve ter voado. Estava muito serena. 
Meu primeiro dia sem a presença física  dela foi um tormento.  Mas sua fortaleza espiritual permanece dentro de mim. 

Disse adeus à minha mãezinha embora ela tenha ficado no meu coração para sempre.

Como deve ser. Mãe é eterna na alma da gente.

Cida Torneros 

O terço


A barca


The sound of music


A música do céu


Que será de ti


Mais uma lágrima