Postagem em destaque

A Paz

sexta-feira, 31 de março de 2017

Sorri


Envelhecer


ÁGUAS PASSADAS


Moska


Melina Mercori. A grega


Sertaneja


Eu já nem sei


Je suis greque


Melina Mercori Grécia


Espelhos d'água


Por causa de você


Eu só tenho um caminho


O seu olhar


quarta-feira, 29 de março de 2017

Noites traiçoeiras


Anjos de Deus


Chiquinha Gonzaga e Joãozinho


Previsões, profecias e promessas ou pretensões...


Pretendia dormir. Mas a madrugada foi interrompida às 3. Mamãe precisou cuidados e atenção. No seu falar compromettido pelo Alzheimer, mencionou meu pai que segundo ela foi trabalhar e não voltou pra casa. Na verdade ele faleceu há quase 10 anos. Ela esqueceu. Foram casados durante 59 e alguns meses. 
Repetiu que ele vai voltar mas ela não irá falar com ele.
Fui concordando enquanto esperava que a medicação dada fizesse efeito.
Ela custou mas adormeceu.
Eu perdi o sono. Fui buscar um telecine e encontrei um filme argentino que adoro. O segredo dos seus olhos revi com atenção.
Como previsão de cigana vi o personagem crer na culpa do assassino do enredo. Vi a promessa do viúvo jovem de vingar a morte da sua amada. E exaltei no final quando a doutora Irene finalmente se rendeu ao pretenso amor do seu subalterno que já durava mais de duas décadas. Às 6 fui pra cama. O dia de hoje clareou devagar. Chovia. Essa era a previsão meteorologica.  Quando acordei, prometi a mim mesma voltar a ler os segredos de tantos olhos que me espreitam.
Cida Torneros

Meu nome é ninguém


O segredo dos seus olhos



mai
08
Postado em 08-05-2010
Cida Torneros: “O Segredo de seus Olhos”, uma porta e a magia do encontro verdadeiro
Arquivado em (Aparecida, Artigos) por vitor em 08-05-2010 17:31

==================================
CRÔNICA DE CINEMA
OS SEGREDOS DE UM GRANDE FILME
Aparecida Torneros
Custei a ver o filme premiado com o Oscar de melhor estrangeiro. Li algumas boas críticas, adiei, e finalmente, fui , incentivada pelo meu terapeuta, que me avisou sobre um personagem importante no enredo: uma porta.
Ao me envolver pela trama policial e pelo romance, percebi-me tensa e racional. A doutora Irene, que sempre deixava a porta da sua sala aberta, diante do olhar apaixonado do seu subalterno perito judicial, um obstinado que detecta o segredo de um criminoso, exatamente pelo olhar que está presente em várias fotos antigas da vítima, apresentadas pelo marido viúvo, inconformado pela violência do assassinato da linda mulher amada.
Durante toda a exibição prestei muita atenção aos personagens, seus olhares fortes, profundos, as mazelas emocionais que, injustamente, percolam as portas da justiça, os dramas pessoais, de quem exerce profissão de descobrir, prender, interrogar, perseguir ou julgar alguém que mata alguém, e, segundo as leis da Argentina, devia ser condenado à prisão perpétua.
Vi que a vida transcorrida nos 25 anos de história por que passam os protagonistas do enredo, muitas são as prisões em que se enclausuram, desde a rigidez de princípios ou da solidão de valores a defender, vi que o argumento mereceu o prêmio por interceptar as portas de almas e corações, algumas vezes tão fechadas em olhares que tentam abrir-se para revelar emoções, noutras tão abertas para que todos partilhem os segredos das conversas. Estas, nunca se permitem existir sinceras, camuflam-se, assumem versão conveniente, a vida segue, as pessoas envelhecem, nem sempre amadurecem, e muitas vezes se tornam mesmo prisioneiras das suas histórias, dos seus passados. Gastam seu tempo repetindo tramas ou revivendo episódios reproduzidos em maior ou menor escala.
Há pouco tempo, uma noite, dormi, por descuido, com a porta da minha casa, aberta, não lhe passei a chave. Na manhã seguinte, pus-me a conjecturar, com a viagem meio alucinada de escritora e contadora de histórias o que poderia ter-me acontecido. Um invasor, talvez um estuprador, um ladrão, sei lá, uma casa térrea, cuja porta se manteve destrancada toda uma madrugada, onde vive e dorme uma mulher solitária. Daria um roteiro para outro filme de suspense, imagino.
Mas, não se deve abrir porta por descuido. Abre-se a porta do coração para quem se pensa conhecer. Abre-se a porta da casa para quem é amigo e confiável. Abre-se as janelas da alma para que os bons ventos tragam felicidade, e é saudável fechá-las diante dos invernos rigorosos, das tempestades e dos vizinhos alcoviteiros.
Grande filme. Fez-me repensar sobre a infeliz necessidade de se usar cadeados, do medo da violação, da incerteza dos amores que vivem pelas ruas e que não sabem conviver em salas ou sobreviver em conversas nas mesas de jantar. Amores talvez que precisem somente de camas mal arrumadas, pequenos espaços de fuga, amores adolescentes, quase infantis, mas que também guardam lembranças de intensos e secretos olhares.
Saí do cinema imaginando que 25 anos não representam quase nada… Como diz o tango tradicional, vinte años no es nada… o que é e conta, realmente, é o momento em que um sobrevive e se liberta dos seus passados revividos, que se livra das suas próprias prisões perpétuas.
Aí, como no final do filme, o sorriso brilha e o olhar se enternece, a palavra solta o verbo preso na garganta, a declaração de algum amor sufocado explode na sala, que, embora de porta fechada, se transforma então no reduto mais liberado do sentimento que andou buscando espaço e ziguezagueou por muito tempo nos confins da dúvida, nos porões da doença emocional, na escuridão da vingança, na infelicidade de um dia-a-dia tirano ou mesmo, na tentativa de fuga de algum assassino confesso.
O que me deu intenso prazer ao assistir “o segredo dos seus Olhos” foi a sensação plena do quanto é importante estar-se atento para abrir ou fechar portas nesta vida, que nos impulsiona, inadivertidamente, a olhares cujo segredo pode ser desvendado, repentinamente, pela razão ou pela emoção, melhor que o seja por ambos, em sintonia com a magia do encontro humano verdadeiro.
Cida Torneros, jornalista e escritora, mora no Rio de Janeio, onde edita o Blog da Mulher Necessária

(3) Comentários    Read More
Comentários

Olivia on 8 maio, 2010 at 20:42 #
É isso Cida, belo texto. O Segredo dos Seus Olhos é o melhor filme que vi nos últimos tempos, para ver e rever.

Ivete Barros on 29 maio, 2012 at 9:19 #
Nossa!! Amei oq vc escreveu!!! Vou assistir o filme!!! Bjos…

Cida Torneros on 23 março, 2014 at 18:09 #
a tv globo anvociou que vai passar brevemente. Imperdivel.

terça-feira, 28 de março de 2017

O custo do sonho é um só


A grande escritora africana


Ministro Ayres Britto no programa Diálogos Conti


Uma aula de cidadania à luz do direito Constitucional. Assisti duas vezes antes de ousar comentar a respeito.  O Ministro que já presidiu o Supremo foi claro, direto, incisivo e demonstrou preocupação para os descaminhos da desigualdade social. Citou versos da canção "esquinas" do compositor Djavan quando se referiu ao desemprego.
Argumentou a impossibilidade de se perdoar caixa 2 retroativamente e ainda demonstrou que é inconstitucional promover a tal lista fechada porque o voto tem que ser nos nomes dos candidatos e não nos partidos segundo a legislação vigente. 
Exaltou as conquistas proporcionadas pela atuação do Supremo Tribunal Federal,  listando diversas delas incluindo a União de casais homossexuais,  entre outras.
Calmo e pousando repetidamente as mãos sobre o exemplar da Constituição que se encontrava na mesa, o sergipano que é poeta além de jurista consagrado, foi enfático desmisticando as propostas de auto anistia que legisladores andam pregando por aí. 
Quem observar sua entrevista com atenção terá deduzido o grau de absurdo por que passa nossa sociedade no que tange o cumprimento fiel da Carta Magna e o respeito à população brasileira que desconhece, em sua maioria, as variantes interpretações que deturpam a busca no combate à desigualdade social.
Caixa 2 é crime. Repetiu. Citou artigos e parágrafos que apontam a necessidade de análise de vida pregressa dos candidatos.  Cada político ou todo servidor no exercício do cargo público seja de qualquer um dos três poderes é o próprio Estado em Ação.  Simples assim. Boa e esclarecedora entrevista na Globo News.

Maria Aparecida Torneros 

Jornalista RJ

Leila Cordeiro está amando de novo


A pioneira Chiquinha Gonzaga


Chiquinha Gonzaga primeiro capítulo série


Sivuca e Clara Nunes


Pai Eterno


Renan pode ser preso


segunda-feira, 27 de março de 2017

Padre Léu deixou muitos ensinamentos


Última pregação do padre Léo


Rosemary


AÉCIO. MUITAS INTERROGAÇÕES


Cher


Padre Fábio Melo


Jackson do Pandeiro


Anos 60


Inezita Barroso


Do you wanna dance?


Bee Gees


Noites com sol


Foi Deus que fez você


Corsário


Choronas


Temer terá que provar rombo da Previdência




Quero beijar-te as mãos


Foi Deus


Queria


Pai Nosso em Aramaico


domingo, 26 de março de 2017

João o apóstolo do apocalipse


AMÁLIA


Músicas gregorianas


Vesperata 2012 em Diamantina


Lua Branca


Boneca









Lua Branca de Chiquinha Gonzaga


É a ti flor do céu


sexta-feira, 24 de março de 2017

Diga ao menos Boa noite


Segura na mão de Deus e vai


Acenda sua luz interior


Capitolio em Washington D.C.



Capitólio dos Estados Unidos
O Capitólio dos Estados Unidos.
Estilo arquitetônicoNeoclássico
Construção
ArquitetoWilliam Thornton (projeto inicial)
ProprietárioCongresso dos Estados Unidos
United States Capitol
Registro Nacional de Lugares Históricos
Marco Histórico Nacional dos EUA
Nomeado NHL:19 de dezembro de 1960 (56 anos)
Registro NRHP:19600002
Capitólio dos Estados Unidos (em inglêsUnited States Capitol) é o prédio que serve como centro legislativo do governo dos Estados Unidos. O Capitólio é o local de reunião do Congresso estadunidense, formado pelo Senado (câmara alta) e pela Câmara dos Representantes (câmara baixa). O Capitólio fica localizado no bairro Capitol Hill em Washington, D.C. e é um dos extremos do National Mall.[1]
O edifício foi projetado originalmente por William Thornton, mas o projeto foi posteriormente modificado por Stephen Hallet, Benjamin Latrobe e, em seguida, Charles Bulfinch. A atual cúpula e as alas da Câmara e do Senado foram concebidas por Thomas U. Walter e August Schoenborn, um imigrante alemão, e concluídas sob a supervisão de Edward Clark.
O edifício é destacado por sua cúpula central e por suas duas alas, cada qual para uma das câmaras do Congresso: na ala norte situa-se o Senado, enquanto na ala sul situa-se a Câmara dos Representantes. Acima destas câmaras encontram-se galerias a partir das quais os visitantes podem assistir as sessões. A estátua sobre a cúpula é a Estátua da Liberdade.










Estive lá em 2008. Não visitei o interior do prédio que se encontrava em obras.

Ilumina minha mãe


Gal estratosferica


Quatro cântaros


Eu chamo a força


Caboclo Pena Branca


quinta-feira, 23 de março de 2017

Esquinas. Djavan


A casa caiu. Será?


Hino ao amor na voz de Hebe Camargo


O céu azul lá fora é lindo neste outono



Anel bijuteria que custa 5 reais no camelô da Central.



Agora cheguei e sentei.
Estou embriagada pelo azul do céu lá fora.
Nesta quinta de início de outono, sinto que o mundo gira muito depressa.
Fui na manicure. Precisava muito.
Pode parecer bobagem mas ver o vinho do esmalte brilhando nas pontas dos meus dedos é como vislumbrar o lado bom da vida corrida e até sofrida.
O fim da tarde promete ser maravilhoso. Quando o Sol descansar atrás das montanhas farei uma prece pelas criaturas de fé.  Esta é fundamental.
Andar com fé eu vou...
Cida Torneros


Aquarius e lava jato tem tudo a ver?

A bela e eterna Gabriela Sônia Braga dá um show de interpretação no filme Aquarius. Tem tudo a ver com a especulação imobiliária e a pressão de empreiteiras.  A jornalista aposentada e sessentona não se rende. Os magnatas corruptores tentam tudo. O processo pode ser micro ou macro mas revela um gen viciado de comprar criaturas em nome de poderes e lucros.
Os tubarões são a melhor metáfora da praia da Boa Viagem no Recife. 
Tubarões cujas dentaduras afiadas mordem o tesouro do povo brasileiro. Arrancam braços e pernas além de eliminar esperanças.  
Lava-se a jato um país sujo de grana escusa. 
Sônia  (Clara)nos representa,  afinal.
Mulher idosa "entre aspas" ,sozinha, pressionada e humilhada, ela nos envolve no seu drama pessoal.
Aquele câncer que lhe tirou um seio há tantos anos permanece latente no sistema corrompido e fedorento.
Vale conferir o filme.
Vale incentivar a lava jato. Vale mais crer no lado bom e na resiliência do povo brasileiro.
Cida Torneros 

Boechat pergunta em 2015 a Delton porque tucanos estão fora da lava jato


A maior cantora do Brasil


Águia dourada


Ponta de areia


Quero me casar contigo


segunda-feira, 20 de março de 2017

Hino da Independência do Brasil


Cisne Branco


Stardust. Natalie Cole


Peluqueria Marisol em Santiago de Compostela


Era uma manhã friorenta de maio de 2009. Eu, Zaza, sua filha Tatiana e nossa amiga irmã Reja, pegamos um ônibus m cedo em Vigo, rumo à lendária cidade das romarias: Santiago de Compostela.
Tudo na Galicia remete 
 àquela sensação de voltar aos tempos medievais. 
Quando Tati viu o salão de cabeleireiro disse: tia Marisol faz pose ali!
Atendi prontamente. A peluqueria Marisol era um sinal. Caminhamos desde a rodoviária até o Santuário imenso frequentado por romeiros vindos do mundo inteiro para fazer os caminhos que levam a Santiago.
Lugar de fé. Onde assistimos missa e passamos horas. 
Oramos muito. Sintonizamos as forças do amor que a humanidade pode e precisa libertar para o bem e sobrevivência do Planeta.
Cida Torneros  

O que é a lista fechada?


Automm leaves


sábado, 18 de março de 2017

A carne é fraca. O Brasil não conhece o Brazil!

Nos últimos tempos a gente se acostumou com a frase bíblica de cunho extenso e intenso : A carne é fraca. Todos podem pecar e ceder aos encantos da carne lucrativa e podre.  O tal Leão nem é tão manso mas ruge nas tornozeleiras em meio a delações premiadas. Um forrobodó à brasileira como denominou Chiquinha Gonzaga. No Carnaval para tudo mas o povo grita Fora Temer.
Fraude e caixa 2. Roubo de cargas e corrupção.  Descaramento e negativas peremptorias nos enfiam goela abaixo.
Financiamento público de campanhas pra que? Não seria melhor financiarmos o resgate da vergonha?
Elis Regina faria aniversário nesse 17 de março.  Gosto demais da sua interpretação de O Brasil (com s) não conhece o Brazil  ( com z).
A lista de Janot é mais comprometededora que a lista de Schindler.  Salve-se quem puder, souber ou puder.  
Um pacto ou acórdão rola nos bastidores.  A Globo News tenta explicar o inexplicável e a classe das elites se desdobra em justificar o injustificável. 
Uma nação à deriva ou um estado sem direito? Mas a Ministra Carmen Lúcia prega a necessidade de justiça digna.
Será possível que os togados vão se harmonizar e visar o povão como grande vítima de tanta bosta espalhada no ventilador?
Os detentores do foro privilegiado ganham tempo. 2018 se avizinha num Brasil que vende aeroportos e quase vende a própria mãe. 
Carne fraca? Ora, minha gente, forte é o o operário da construção civil. Aquele ser humilde e sábio que transita espremido nos trens suburbanos levando marmita debaixo do braço. 
Fraca é a falida conjuntura de propinas e lavagem de grana suja. Anéis e quadros. Papéis podres e jóias compradas com dinheiro de roubo.
Realmente o Brasil não se conhece.
Há um país submerso. Deve emergir e afogar os golpistas um a um. É o que nos resta. 
Saíamos do anonimato para dar a Cesar o que é de César.  
Chega de tanta manobra safada em cima de nós.  
Cadê a lista do Janot? 
Se me acharem ali, por favor, me decaptem em praça pública.  Como Boa aposentada, devo muito. Devo ser mais uma entre milhões que se deixou enganar por quadrilhas insanas. 
Vamos reverter esse quadro doloroso. 
Hora da virada. 
Chegou o momento de nos conhecermos profundamente. O novo Brasil com s precisa de todos os seriam capazes de morrer pela pátria. 
Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil? 

Cida Torneros

Tony Bennet


O que me importa?


Onde está a lista de Janot?