Vôo do Beija-flor

Vôo do Beija Flor - Elisa Cristal

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O mundo é grande


Eu morava na areia


Noite dos mascarados


Roberto Carlos e Chico Buarque


Zélia Duncan


Seu Jorge


Roberto Carlos e Jorge Benjor


Sandy e Roberto Carlos


Roberto Carlos e Pavarotti


Esse cara sou eu


A garota do baile


Diz que não me ama


Coisas da vida


Não mexe comigo


Itapoa


Comida saudável que eu mesma fiz.



 Volto da casa de mamãe decidida a retomar a dieta para os índices elevados de colesterol e triglicerídeos.  Não é nada fácil mas tento mudar hábitos alimentares de alguns meses para cá. Cozinhei macarrão integral penne.  Fiz molho de tomate, cebola, alho e pouqussimo azeite. Cozinhei beringela e chuchu em pedacinhos para misturar ao molho. Juntei tudo. Ficou colorido e apetitoso. Pouco sal. Sirvo a mesa e saboreei. Não comi carne ou fritura. Para beber  uma deliciosa limonada caseira. Espremi limão e adocei com gotinhas. Adorei meu almocinho despretensioso.
Bom de produzir e de comer.
Digestão leve.
Compartilho com quem deseja fugir dos pratos engordurados.
Fica a sugestão!  Para uma refeição sem culpa e bem gostosa.
Cida Torneros


Luis Fernando Verissimo completou 80 anos



Mundo Livro
Luis Fernando Verissimo promove "carimbaço" nesta sexta-feira
Escritor receberá leitores para bate-papo e sessão de autógrafos na Livraria Cultura (Tulio de Rose, 80), às 19h

Por Zero Hora30/09/2016 08h04min
O escritor Luis Fernando Verissimo, que completou 80 anos na última segunda-feira, dia 26, encontra seus leitores nesta sexta-feira, às 19h, na Livraria Cultura (Tulio de Rose, 80) para lançar o livro Verissimas(Objetiva, 264 páginas, R$ 44,90). O autor participa de um bate-papo com o público seguido de sessão de autógrafos, ou melhor, de "carimbaço" (sim, Verissimo encontrará amigos e fãs de carimbo em punho).

Leia mais:
Confira playlist com 15 músicas prediletas de Luis Fernando Verissimo
Luis Fernando Verissimo, 80 anos de um enigma envolto em introspecção

Organizado pelo publicitário e jornalista Marcelo Dunlop, que participa do bate-papo, o livro reúne frases e reflexões de Verissimo sobre diferentes temas. Trechos, frases e cartuns foram organizados por tópicos dispostos em ordem alfabética, compondo cerca de 800 verbetes.

Além de Verissimas, mais uma novidade do escritor deve chegar às livrarias em breve: o livro As gêmeas de Moscou, sua estreia na literatura infantil, deve começar a circular na segunda quinzena de outubro. 

E se tu não existisses ?


quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Palpite infeliz


Bebadosamba


Life is beautiful


Fim de tarde


Martinho da Vila canta Noel: Três apitos


CHICO BUARQUE FALA SOBRE NOEL ROSA



Um sonhador


I will survive


Elis e Gal


Linda mensagem do Padre Fábio de Melo


Pétala


NOEL ROSA: ÚLTIMO DESEJO




quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Modéstia à parte , eu sou da Vila, carioca da Vila!



Noite de quarta-feira. 28 de Setembro de 2016. O bairro VILA ISABEL faz aniversário. Um grupo de atores amadores se apresentou no clube Vila Isabel saudando Noel Rosa. Foi emocionante. Suas canções e sua história.  Noel vive em cada canto do nosso coração.  Sua sensibilidade e malandragem nos legaram um patrimônio musical poético e o perfil de uma época.  Foi um cronista musical de sua época.  Modéstia parte eu sou da Vila.
Cida Torneros









VILA ISABEL DE NOEL ROSA NA NOITE DE 28 DE SETEMBRO DE 2016

 











Uma mente brilhante


Tina Turner and Cher


Hey Jude


Belas imagens





Padre Fábio de Melo e Celina Borges


Joana canta oração de S. Francisco


terça-feira, 27 de setembro de 2016

Cura Senhor


Michel Telo e Roberto Carlos


From United States of Piauí


Feelings


Drops de hortelã , a vida inteira eu deixei a vida entrar no nariz


A vida inteira eu deixei a vida entrar no nariz. Claro que muitas vezes ela transbordou e ainda transborda pelas margens que ultrapassam seus limites. Repentinamente é preciso aceitar tudinho como parte do próprio enredo. Uma dor qualquer descompensa e perco a sessão de terapia. O jeito é tomar remédio e ficar quieta, deitada. No outro dia, resolvo cozinhar o macarrão integral. Com molhinho de carne moída.  Suco de laranja. Reajo. Lavo a louça.  Falo com mamãe. A amiga dela vai fazer 89. Vou na missa e café da manhã no domingo de Outubro. Devo representar a família.  Boas lembranças de infância e mocidade. 
Como na canção,  eu não sei muito, mas sei que continuo deixando a vida me entrar pelo nariz, olhos, boca, ouvidos e tato.
Coisa de pele. De cheiro. De enxergar luz ao longo do túnel. 
Lá vem a história a me recontar sobre o gosto do drops de hortelã.  Coisa Boa e refrescante. Fiz a laranjada, adocei com gotinhas. Suspirei fundo antes de devorar o macarrão.  Sabor de comida revigorante.  
No mais, eu não sei quase nada dos porquês do inconsciente porém convivo com certas travas emocionalmente infantis. 
Aliás,  doces e balas de Cosme e Damião me recordam meninice suburbana. Maria mole, bananada, cocada, pé de moleque. Ah, criatura, ganhar doces e chupar balas. Pirulitos no palito. Nada de gotinhas. Era açúcar liberado.
Vale parar para reviver mel de cada momento gostoso. 
Lamentar não me leva a lugar algum. Preciso de uma sobremesa. Talvez pudim. Enfim, preciso de mim, dos meus sentidos reconectados.
Os mais simples e infantis. Aqueles que me dão suporte para compreender os artifícios para tirar o amargo de certos instantes doidos.
Jujubas. Coloridas. Pequeninas. Drops.  
Exatamente.  Com muito gosto e cheiro de hortelã pra vida entrar pelo nariz e me entupir de luz. 
Brilhantes pedacinhos adocicados para compartilhar esperança e investimento em sede de viver. Vale a pena. Que delícia reanimar o coração para perceber o quão profundo é lutar contra as espetadas dos espinhos do caminho. 
Perfume de flores e gosto de açúcar. Melhor assim.
Cida Torneros 

Julian Marley


Noa


Salve Cosme e Damião!


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

The Lady is a tramp


Debaixo dos caracóis dos seus cabelos


Você não serve pra mim


Mais flores














Adiemus


Sinônimos


Yesterday


Here comes the sun


No tempo dos quintais


Night and Day


domingo, 25 de setembro de 2016

Samba para as moças


Estrada Nova


CLUBE DAS DIVORCIADAS


Sonia Braga fala de Aquarius


VALSINHA


Que maravilha


Duet


Dia de encontrar amigas e dar um tapa no visual




A quantas anda sua auto estima? Mesmo com dores físicas tem uma hora que a gente levanta da cama e vai ao salão pintar os cabelos. Depois, come uma salada com frango grelhado no shopping e volta pra casa. Faz selfing com as amigas.
Sorri. Conta e ouve histórias.  Volta pra casa com ânimo renovado. Toma 4 ou 5 remédios obrigatórios e vai dormir com mamãe.  Esta, pergunta porque não veio mais cedo. Nem sabe as horas.  Ainda são 9 da noite de sábado.  Dentro do seu mundo agora escuro e no meio do Alzheimer, ela se perde e se encontra enquanto a cercamos de atenção e carinho.
Sei que uma saidinha como essa ajuda a enfrentar as agruras da vida.
Olho-me por dentro. É o lugar que arrumo sempre. Mais profundo. À custa de aprendizado. De perseverança. De luta contra pessimismo ou desesperança.  Todo dia é dia de superação. Vamos em frente.
Cida Torneros

Can't help falling love


sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Bob Marley


MORENA DE ANGOLA


Rod Stewart

Final de 2013, recebi o email dele. "Vou atravessar o Atlântico e passar o Ano Novo com você em Copacabana."

Fiquei surpresa. Eu o conhecera cinco anos antes em Paris e nunca mais tínhamos nos visto. 

Exceto alguns emails, fomos nos distanciando e o rompimento parecia de finitivo. 

Mas, tudo bem. Vinha um novo ano. Nós o esperamos na praia no calor de uma multidão,  brindando com champanhe, saltamos  2014. 

Realmente, ele atravessou o mar , esteve comigo e dias depois partiu rumo ao seu lugar no interior de França. 

 Sumiu.

A vida seguiu. Nosso ciclo se completou. Veio o silêncio. 

Entendi que era pra ser assim. Afinal, a vida tinha nos presenteado com dois marcantes encontros.

Naquele 2014, quase no final, conheci outro alguém.  

Umas conversas envolventes porém nada sério. 

Talvez fosse apenas uma artimanha da história para me perceber viva aos 65 anos. Inteira. 

Pronta para continuar a ser feliz mesmo ficando de novo sozinha. 

O cidadão trabalhador da Medicina também sumiu.

Eu, como sempre , segui. 

Aliás,  sigo. Vou em frente. Já completei 67   estamos no finzinho de 2016.

Alguém me liga na segunda passada. Quer me visitar. É uma amigo de mais de 10 anos que para mim, é muito jovem. 

Digo que estou doente, cansada, que não posso recebê -lo. Ele responde: que pena! 

Vejo-me assim, atravessando os mares de desafios. Busco calmaria e Porto Seguro.  

Agradeço tanto carinho recebido e todas as vezes que pude dar conforto e esses alguens que me cruzaram o caminho. 

No fundo, compõem uma sequência viva da minha disposição de compartilhar afeto.

Lá vou eu atravessando oceanos. 

Como na canção,  estabeleço ritmo para vôos sobre águas ora revoltas e ora plácidas. 

Navego segura na direção do aconchego de alguém que me aguarda em algum ancoradouro firme.
Cida Torneros 


GATINHOS





Amizades de poetas!

Drummond está sentado à beira mar , em Copacabana.
Muitos poetas como ele , se aproximam e conversam. Contam histórias.  Tiram fotos. Fazem confidências ao mineiro introspectivo que nos legou letras sentimentais com sua sensibilidade.
Salve Drummond. Que se põe ao alcance do povo tão presente como o Redentor.
Os tortos lhe roubam os óculos de quando em vez. Ou picham. Câmeras registram , dioturnamente.
Gente que o ama e gente que não o respeita.
Mas, fazer o que?
Como ele mesmo poemou:
Mundo, mundo, vasto mundo, se todo mundo se chamasse Raimundo, seria uma rima, não uma solução ".
Cida Torneros


GATOS


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Ciranda de Lia


Tocando em frente


IVETE


Dorival


Gaby Amarantos Cheia de charme


Dança comigo


Resposta ao tempo


Força estranha


BRAZUCA


Manhãs de setembro


Romaria


LUME DE ESTRELAS


Salve a Primavera!






Flores na porta da minha casa





Hoje a espada de São Jorge me deu um buquê da sua flor tão rara. 

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

AMO O DEUS QUE ME SALVA. NADA TEMO....
ISAÍAS