Postagem em destaque

A Paz

quinta-feira, 31 de março de 2016

Besame mucho


agora ou nunca


Trini Lopez Perfídia


Perfídia Alceu Valença


Desejos e delírios


Carinhoso


Por causa de você


Franqueza Maísa


quarta-feira, 30 de março de 2016

Perfídia , a sessão de a cumpuntura e o destino que prega peças

Ali estava eu. Tarde findando e dores  alucinantes. Agulhas que me espetavam buscando equilibrar terminais nervosos de sofrimentos físicos e emocionais. Ao meu lado, na outra maca, a senhorinha que traz nnon  peito a medalha com a foto pendurada do único filho sorridente que ela perdeu há mais  de 20 anos num assalto de ônibus. 
Ficamos de pé , fomos os últimos a sair eu, ela e o profissional das agulhas.
Quis o destino que encontrasse o amigo médico na porta do hospital. Seu semblante parecia tranquilo mas ao me ver fechou a cara. Mentiu sim. Sei que estava zangado. Tem seus motivos. Prometi nunca mais incomoda-lo com minha energia oscilante.
Demos um abraço de amigos eu sai chorando.
Não por ele ou mesmo por minhas dores ou até pela perda imensa da velhinha que traz o filho no peito. Chorei pela vida que escoa. Pela despedida que o Alzeihmer faz com minha mãe pela minha solidão que caminhou entre minhas lagrimas até o ponto do ônibus. Pela ruptura decidida e por buscar a canção necessária ao meu momento. Achei Perfídia.
E vou seguir. Dolorida. Espetada. Esfaqueada. Sangrando. Desamparada e só mas com dignidade. Basta me conscientizar da efemeridade dos sentimentos superficiais e m entirosos. Chorar na frente de quem não tem sensibilidade é jogar fora sentimentos profundos
Cá estou. Mamãe deteriora mas ainda briga. Luta. Meu corpo torto se contorce de dor e rememora o último prazer com alguém que prefere mentir. Minha cabeça está confusa mas meu coração canta os versos de Perfídia.
Bom ser assim. Prisioneira que se solta do destino e voa ainda que chorosa e cambaleante.
Seguirei. Enquanto tiver forças e sonhos. Abraços amigos confortam. Olhares indecifráveis parecem traduzir pedidos irrecusáveis . Mas nem tudo sao flores e há perdas que precisamos aceitar. Que tenhamos força. Que tenhamos perdão que saibamos ultrapassar ou mesmo superarar. Enquanto isso , ouçamos Perfídia!
Cida Torneros

Morena do mar


Al nuestro rencuentro


Arrancame la Vida


Prisioneiro


Lila com Mercedes


Foi tão bom


Anjos de Deus


Nossa Senhora cuida de nós


terça-feira, 29 de março de 2016

Deus salve a América


God bless America


El Palomo del Comalito


Fado Tropical


Falhaste coração


Sou tantas















Chuvas de verão


País Tropical


Sandália de prata


Espelho


Se a fila andar


Milton Nascimento e Chico Buarque


Música indiana


Tengo miedo de quererte


segunda-feira, 28 de março de 2016

Se me enamora la alma


Espanha es mi mujer ( Marcos Augusto Mesquita Coelho)

A casa dos grandes pensadores


España , Es mi Mujer
Quem te mira ao Norte
Olhos Lindos, Boca idem
Nariz Forte
Coisas Gálicas
De destaque
Tua testa
Gitana, obra Celta

Em viagem ao teu Sul
Noto tuas pernas
Que passeias, fugidia
Andaluzia

No teu centro rouba a cena
Madrileña
Como forma de provar-te Espanhola
No que outras só chamamos
grandes lábios
presenteias com imensas
Castanholas

Marcos Augusto Mesquita Coelho
                       
Publicação: www.paralerepensar.com.br11/08/2006

Guitarra portuguesa


O Amor é tudo


Caminho das Indias


Lila Down y Chavela Vargas


domingo, 27 de março de 2016

Ronda: : saudades de Sampa

Houve uma fase da minha vida em que trabalhei muito em Sampa. Correria. Cheguei a morar por meses em ocasiões diferentes. Anos 80, 90 e algumas vezes anos 2000. 
Quando ia para a rua Bento Freitas e me hospedava na casa da amiga Magda costumávamos ir com amigos jantar no Terrace Itália. Víamos a suntuosidade luminosa da grande cidade. 
E éramos capazes de imaginar o clima da famosa canção Ronda.
Sampa me dá muita saudade. Fiz amigos e amigas. Bordejei por seus restaurantes e recantos. Fiz ronda por suas avenidas e encarei seu metrô.
Enfrentei seus imensos engarrafamentos e vivi ali instantes de grandes descobertas pessoais. Pela Avenida Paulista caminhei muitas ocasiões sonhando com bons negócios. Na rua Augusta tive um ponto de apoio no hotel de amigos espanhóis. Na Freguesia do Ó  era a Vera Pastorelli que me acolhia. Em Moema, a espanhola Maria Luiza. Na Martins Fontes o Horácio gerente do hotel onde voltei sempre e aproveitei para comer no Família Mancini ou no Gigeto. Ultimamente no Paraíso, Lília Lorosa que é uma filha postiça me oferece refúgio. 
O percurso Rio Sampa fiz mil vezes. 
Aquela metrópole é desafiante. 
Andei pela Moça, pelo Brás , por Santana, conheci são Bernardo Santo André aliás o ABC.
Pautei meu trabalho encima de clientes e do clube dos espanhóis no Cambuci.
Comi ali muitas paellas. Fui também a muitas festas. Sampa é dos imigrantes.
A italianada no Bexiga e a japonesada na Liberdade. 
O sanduíche de mortadela do mercado municipal  e aquelas idas ao Baiuca ouvir música de piano bar.
Cida Torneros 

Lá Bruja


El Feo


Piensa en mi


Fallaste Corazon


Lila Downs


Mi segundo amor


Aleluia! Ressurreição é respeitar as necessidades de todos!


Todos os dias ressurgem esperanças nos corações humanos. Há Ressurreição na história cristã assim como há ressurreição  na Vitória da Justiça sobre o crime e as guerras. Sobre os vícios e o mal que podem ser abatidos pelo Amor. Aleluia! Amor é tudo. Riqueza é  O Amor. Pobreza é  valorizar o poder ou o dinheiro. Tudo isso passa. O Amor é  eterno!
Cida Torneros 

sábado, 26 de março de 2016

Tom Jobim : Brasil


BRASIL


la sandunga


lá casa Azul


lá llorona


Frida na Caixa Cultural até 27 de março RJ


Paloma negra


The real Frida Kalo


sexta-feira, 25 de março de 2016

Leonel Brizola no Roda Viva


Fibra de Herói


Dragões da Independência


The house of the rising sun


Flower power


Blowing in the wind


Joan Baez


A montanha


quarta-feira, 23 de março de 2016

Meu amor é marinheiro


Amália Rodrigues


Nem às paredes confesso


Fado Toninho


Divina Comedia Humana


Carmen Miranda


Disseram que eu voltei americanizada


Dilma Roussef: não renunciarei em hipótese alguma


segunda-feira, 21 de março de 2016

Essa coisa de amor é preciso ter muito cuidado

O homem experiente parecia um menino. Esoantou-se com as reações  rapidas do seu corpo vivido aos afagos sensiveis da senhora aposentada. Como explicar tal fato? Antes estavam ambos adormecidos para o novo amor. Já tinham desistido e se acostumado à  vidinha sexagenaria das criaturas acomodadas.
Mas fez se o vulcão entre eles. Chamas de Luz e paixão. Afetos reprimidos ecenvergonhados. Um inusitado gosto de medo do amanhã.
Afastaram-se então. Não por covardia mas como elaxdefiniu: para evitar encrenca.
Silêncio  por meses e quase um ano.
Sem contudo saírem dos seus corações as marcas do encontro. Um mexeu com a vida do outro . Coisa de doido . Fuga de sentimentos. Impossível abraçar ou amar novos pares .
Para ela, ele virou poesia e personagem de crónica. Para ele talvez ela não tenho sido nada. Apenas uma escapada de um don Juan também aposentado.
Resta a canção. Sobram os sonhos. Sobrevivem as lembranças . Entre estas, a imagem dos lábios dele barrados de batom naquela manhã de sábado depois do beijo roubado no consultório do hospital . Ficou pra trás. A vida segue em frente porque o mundo gira. E nessa coisa de amor é preciso ter muito cuidado. 
Cida Torneros 

Como yo te amo


Gracias a la vida


Episcopado brasileiro diante da crise


O golpe de 1964


Discurso histórico de Pedro Simon em defesa de Jango


Brizola última entrevista


Retrato do velho


Volver a Los 17... mismo a Los 67...


Noites difíceis com mamãe de quase 90 e braço quebrado. Sem poder operar. Num processo de demência senil. Muita dor e analgésico restrito por causa de complicações cardíacas e de tireóide. 
Noites dolorosas quando a fragilidade do organismo humano se desmancha pela ação do tempo é desafio de enfrentamento e resistência. Recursos desesperados com o uso de calmantes e chás. 
A oração que faço é  por um novo dia de luta que cole os ossos mesmo tortinhos daquela mão esquerda, que vi por toda minha vida agir e trabalhar sem descanso. Que assisti produzir colchas e toalhas lindas de crochê. Mão que me embalou e me segurou nos momentos necessários.

Volver a Los 7 e lembrar de como calçava minhas meias para ir à escola. Passados 60 anos, cá estou cobrindo seus pés  e  infelizmente ouvindo gemidos enquanto aguardo o efeito dos remédios. 

Volto aos 27 lembrando quando disse a ela que seria avó. Volto aos 37 quando viajava muito e precisava que ficasse com meu filho nos dias em que corria atrás dos meus compromissos profissionais. Volto aos meus 47 e lembro dela cuidando do meu pai que ainda trabalhava e depois da aposentadoria, aos 70, ainda fez carpintaria e ouviu música clássica até os 85.
Volto aos meus 57 e rememora a dor da perda paterna e o começo de um período mais próximo dela que sempre teve gênio forte herdado da sua bisavó indígena.

Nas vésperas dos meus 67 e dos seus 90, mãe Norma luta com a decrepitude e os efeitos de uma queda feia. Luta com a dor física e o cansacocansaço emocional além da confusão mental que o Alzheimer acarreta.

Mas ela também teve 17 um dia e namorava meu pai. Era elegante em porte e modelos. Morena cabloca de feições fortes e futuro determinado. Ia criar os filhos com muito estudo. Fez de nós um engenheiro e uma jornalista professora, orgulhosamente nos matriculando sempre em colégios públicos para os quais ingressando à  custa de muito estudo para passar nos concursos.

Hoje, a cercamos de atenção e cuidados. Temos que conviver com suas limitações.
Trazemos conosco o orgulho do seu grande exemplo. E neste minuto em que ela voltou a adormecer depois de horas de agonia,  o dia amanhece. 

Então ouço Violeta Parra,  a compositora chilena interpretada por jovem cantante. 
Acalmo meu coração. Sou a eterna adolescente cuja mãe exigente me cobrava estudar muito.

Sou a latino americana também cansada dos golpes e exploração dos nossos povos. Sou a brasileira aposentada e solitária que ainda crê no amor apesar de tantas tentativas frustradas
Volver a Los 17. 

Estou volvendo todos 
Los dias a Los mejores suenos de nostras vidas. 

Cida Torneros

domingo, 20 de março de 2016

Angel


A noite do meu bem


Quizas quizas quizas


Chão de estrelas


Malandro é malandro


Bezerra da Silva (entrevista)


Ator Claudio Botelho critica Lula e Dilma . público grita"não vai ter golpe"





Estadão

Ator critica Lula e Dilma e Chico Buarque 'veta' musical
UBIRATAN BRASIL

20/03/2016 | 13h28 31

Público interrompeu o espetáculo em BH aos gritos de 'Não vai ter golpe!'; elenco precisou sair pelos fundos para não ser hostilizado
SÃO PAULO - Os incessantes gritos de “Não vai ter golpe!” vindos da plateia interromperam o espetáculo "Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos" durante a apresentação na noite deste sábado, 19, em Belo Horizonte. Parte do público não aceitou um comentário do ator e diretor Claudio Botelho contra a presidente Dilma e o ex-presidente Lula e, por causa da confusão, o espetáculo foi interrompido antes do fim. 

OUTRAS NOTÍCIAS


“O governo militar interrompeu uma apresentação de Roda Viva, em 1969. E agora vocês interromperam o nosso Roda Viva”, disse Botelho, antes de sair de cena. As reações negativas, porém, convenceram Chico Buarque de Holanda a decidir, na tarde deste domingo, 20, a não mais liberar os direitos de sua música para os espetáculos de Botelho e sua empresa.


Chico Buarque conversa com o elenco, após assistir ao musical em sua homenagem  Foto: Facebook/divulgação - 16/02/2014

O musical é uma história sobre um grupo de atores mambembes que, de cidade em cidade, vivem diversas histórias, todas ornamentadas por canções de Chico. “Sempre faço improvisos em um determinado momento do espetáculo, incluindo comentários políticos, criticando de Dilma a Eduardo Cunha, e nunca enfrentei nenhuma reação negativa, ao menos, no Rio de Janeiro”, contou Botelho ao Estado, no início da tarde do domingo, 20, ainda em Belo Horizonte. 

O momento a que ele se refere acontece quando seu personagem, o dono de uma companhia de teatro itinerante, chega a uma cidade onde não encontra ninguém na praça. Pelo texto original, ele diz: "Onde estão as pessoas dessa vila? Assistindo novela?". Em seguida, vem o momento do improviso e, no sábado, Botelho acrescentou: “Ou será que estão assistindo à prisão de um ex-presidente? Ou de uma presidente ladra que vem sendo vítima de impeachment?”

Nesse instante, ouviram-se duas ou três vaias. “Depois viraram dez, até que, de um determinado ponto do teatro, onde estavam cerca de 200 pessoas (o Sesc Paladium tem capacidade para aproximadamente mil pessoas), começaram os gritos de ‘Não vai ter golpe’. Minha primeira reação foi a de rir. ‘Mas até na minha terra isso acontece, gente?’, eu falei. Não adiantou. Uma turma se aproximou até perto do palco, com um olhar raivoso que poucas vezes vi, e continuou gritando. Houve quem pedisse silêncio, dizendo querer ver o espetáculo. Cantamos mais duas músicas, mas foi impossível continuar”, conta o ator.


Sessão do musical 'Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos' foi interrompida após reação da plateia a um comentário do ator e diretor Claudio Botelho Foto: Leo Aversa/Divulgação

Como correu o boato de que esse grupo voltaria à porta do teatro antes da apresentação programada para este domingo, 20, o Sesc cancelou o espetáculo, que encerraria a temporada nesta data.

Diversas reações pipocaram na internet. Em uma delas, um ator que se identifica como Adir Assunção afirma ter enviado um e-mail para Chico Buarque dizendo que ele não pode mais conceder os direitos de uso de suas canções no musical.

O assunto também preocupou Botelho que, ainda em Belo Horizonte, entrou em contato com Vinicius França, empresário de Chico Buarque. “Não consegui falar com o Chico, mas eu precisava dar a minha versão”, disse Botelho. “Mesmo assim, lamento que a bela amizade que eu e o Charles (Möeller) cultivamos com Chico nesses últimos anos ficasse ameaçada por conta desse episódio”, completou ele, pressentindo o que de fato aconteceu: a proibição, por parte do compositor, do uso das canções.

Botelho enfrentou outro problema com a divulgação de uma gravação da conversa que ele teve com uma das atrizes do espetáculo, Soraya Ravenle, no camarim. Ela tenta acalmar o ator, argumentando que considerava um erro o acontecido, especialmente por causa da forte comoção que a política vem provocando no País nas últimas semanas.

Ao responder à atriz, Botelho diz: "O artista no palco é um rei. Não pode ser interrompido por um nego, por um filho da p... da plateia”. Diversos sites, porém, divulgam que o ator teria falado “negro”, o que também gerou uma série de acusações racistas na internet. “Eu falei ‘nego’, que é uma gíria muito usada no Rio quando se quer falar ‘cara’, ou seja, sobre alguém indeterminado.”







Quando saí de Cuba


FHC encurralado e humilhado por jornalista da BBC


Três Poderes


  • TRÊS PODERES

    POLÍTICA 
    Montesquieu propôs a divisão dos três poderes em: Poder Executivo, Poder Legislativo e Poder Judiciário.

    Montesquieu foi um dos principais filósofos responsáveis pela teoria dos Três Poderes. Montesquieu foi um dos principais filósofos responsáveis pela teoria dos Três Poderes. 

    Desde a Antiguidade, vários filósofos e pensadores se desdobram nas formas de organização do poder político. Muitos destes se preocupavam com a investigação de uma forma de equilíbrio em que o poder não se mantivesse sustentado nas mãos de uma única pessoa ou instituição. Já nessa época, as implicações de um governo de feições tirânicas ou autoritárias preocupavam as mentes daqueles que voltavam sua atenção ao terreno político.

    Entre os séculos XVII e XVIII, tempo de preparação e desenvolvimento do movimento iluminista, o teórico John Locke (1632 – 1704) apontava para a necessidade de divisão do poder político. Vivendo em plena Europa Moderna, esse pensador estava sob o domínio do governo absolutista. Em tal contexto, observamos a figura de um rei capaz de transformar as suas vontades em lei e sustentar a validade das mesmas através de justificativas religiosas.

    Algumas décadas mais tarde, Charles de Montesquieu (1689 – 1755) se debruçou no legado de seu predecessor britânico e do filósofo grego Aristóteles para criar a obra “O Espírito das Leis”. Neste livro, o referido pensador francês aborda um meio de reformulação das instituições políticas através da chamada “teoria dos três poderes”. Segundo tal hipótese, a divisão tripartite poderia se colocar como uma solução frente aos desmandos comumente observados no regime absolutista.

    Mesmo propondo a divisão entre os poderes, Montesquieu aponta que cada um destes deveriam se equilibrar entre a autonomia e a intervenção nos demais poderes. Dessa forma, cada poder não poderia ser desrespeitado nas funções que deveria cumprir. Ao mesmo tempo, quando um deles se mostrava excessivamente autoritário ou extrapolava suas designações, os demais poderes teriam o direito de intervir contra tal situação desarmônica.

    Neste sistema observamos a existência dos seguintes poderes: o Poder Executivo, o Poder Legislativo e o Poder Judiciário. O Poder Executivo teria como função observar as demandas da esfera pública e garantir os meios cabíveis para que as necessidades da coletividade sejam atendidas no interior daquilo que é determinado pela lei. Dessa forma, mesmo tendo várias atribuições administrativas em seu bojo, os membros do executivo não podem extrapolar o limite das leis criadas.

    Por sua vez, o Poder Legislativo tem como função congregar os representantes políticos que estabelecem a criação de novas leis. Dessa forma, aos serem eleitos pelos cidadãos, os membros do legislativo se tornam porta-vozes dos anseios e interesses da população como um todo. Além de tal tarefa, os membros do legislativo contam com dispositivos através dos quais podem fiscalizar o cumprimento das leis por parte do Executivo. Sendo assim, vemos que os “legisladores” monitoram a ação dos “executores”.

    Em várias situações, podemos ver que a simples presença da lei não basta para que os limites entre o lícito e o ilícito estejam claramente definidos. Em tais ocasiões, os membros do Poder Judiciário têm por função julgar, com base nos princípios legais, de que forma uma questão ou problema sejam resolvidos. Na figura dos juízes, promotores e advogados, o judiciário garante que as questões concretas do cotidiano sejam resolvidas à luz da lei.

    Por Rainer Souza
  • Mestre em História 

Cisne branco


Hayden: as 7 ultimas palavras de Jesus na Cruz


sábado, 19 de março de 2016

Folhas de outono


Eva Cassdy


Lês feuilles mortes


Nat King Cole


Autom leaves


Folha morta


Folhas mortas


Chega o outono no Hemisfério Sul

ESTAÇÕES

  • BRASÍLIA - OUTONO

  • Valores históricos de Chuvas

  • MAR
  • ABR
  • MAI
  • 188,9 mm
  • 123,8 mm
  • 39,3 mm
  • Recorde de Chuvas em 24 horas

  • 31/03/64
  • 19/04/65
  • 03/05/69
  • 111,8 mm
  • 66,0 mm
  • 73,6 mm
  • Valores históricos de Temperatura Mínima

  • MAR
  • ABR
  • MAI
  • 17,5ºC
  • 16,8ºC
  • 15ºC
  • Recorde de Temperatura Mínima

  • 18/03/65
  • 27/04/68
  • 18/05/77
  • 14,6ºC
  • 10,7ºC
  • 3,2ºC
  • Valores históricos de Temperatura Máxima

  • MAR
  • ABR
  • MAI
  • 27,1ºC
  • 26,6ºC
  • 25,7ºC
  • Recordes de Temperatura Máxima

  • 03/03/69
  • 04/04/63
  • 22/05/69
  • 32,1ºC
  • 31ºC
  • 29,7ºC
CARACTERÍSTICAS GERAIS
O Outono inicia-se 01h30 do dia 20 de março de 2016 . Sendo uma estação de transição entre o verão e inverno, verificam-se características de ambas, ou seja, mudanças rápidas nas condições de tempo, maior freqüência de nevoeiros e registros de geadas em locais serranos das Regiões Sudeste e Sul. Nota-se uma redução das chuvas em grande parte do País, com o registro dos maiores totais de chuva, superiores a 700 mm, no extremo norte das Regiões Norte e Nordeste e no leste do Nordeste, onde se inicia o período mais chuvoso. No restante do País, predominam totais de chuva entre 150 mm e 400 mm. Nas Regiões Sul, Sudeste e parte da Região Centro-Oeste do Brasil, as temperaturas tornam-se mais amenas devido à entrada de massas de ar frio, com temperaturas mínimas que variam entre 12ºC a 18ºC, chegando a valores inferiores a 10ºC nas regiões serranas. Nestas mesmas áreas.